sábado, 9 de fevereiro de 2019

Unicef cria cartilha com 10 passos para alimentação e hábitos saudáveis até os 2 anos


Como deve ser a alimentação das crianças do nascimento até os dois anos de idade? O Unicef criou uma cartilha com 10 passos para ajudar as mamães e os papais.

Amamentação

Não oferecer açúcar

Sexto mês de vida, momento para novos alimentos

Criança com fome come comida de verdade

Estimular o bebê a mastigar

Oferecer alimentos saudáveis: grãos, raízes, carnes, frutas e verduras

Verduras, legumes e frutas

Antes dos dois anos, nada de doces, biscoitos, salgadinhos, café, refrigerantes ou gelatina

Lave bem as mãos, os alimentos e os utensílios

Bebê ativo é bebê saudável e feliz

A alimentação começa assim que o bebê nasce, com a amamentação. O leite materno é o alimento ideal. “Ele tem todas as vitaminas, todas as proteínas, além de que é um alimento que protege a imunidade também. Até os seis meses, é o único alimento perfeito para o bebê”.

Bebê que mama no peito até o sexto mês cresce, tem mais saúde, adoece menos e desenvolve melhor o cérebro.
Não existe uma hora exata para mamar e nem uma posição certa. A posição ideal é aquela em que a mãe e o bebê se sentem confortáveis. A mãe deve ficar atenta a pega. “A pega correta é importante. “O bebê deve abocanhar a maior parte da auréola. Ele não pode só pegar o bico”.

Açúcar nos dois primeiros anos? Não. Ele é um dos maiores vilões para crianças antes dos dois anos. “Nem um pouquinho até os dois anos. Mesmo depois é preciso ter cuidado”.

E já pode começar a limpar a boquinha do bebê com fralda, pano úmido. Quando os dentinhos começarem a crescer: escova de dente. “Pelo menos duas vezes por dia, principalmente à noite quando ele for dormir”.

A partir dos seis meses de vida, é hora de começar com os alimentos. “Pela manhã mantenha a mamada. Já pode dar o lanchinho da manhã, como uma fruta. No almoço, dê uma proteína, carboidrato, legumes. À tarde, outro lanchinho. À noite só leite materno”.

Estimule seu bebê a comer com a colher e com as mãos.
O contato com os alimentos ativa e propicia a sensação de autonomia. “Às vezes é uma bagunça, mas vale a pena a felicidade dele e ele poder sentir que pode se alimentar”. Estimule, mas não insista. “Se a criança rejeitar, não estresse, não force”.

A partir dos oito meses o bebê já pode comer praticamente tudo que a família come, desde que não tenha muito sal, gordura, tempero e que seja saudável.

Como oferecer a comida? Ela não deve ser passada em liquidificador, peneira. Estimule o bebê a mastigar. “Mastigação fortalece a musculatura da bochecha, estimula a dentição e a fala. É muito importante que os alimentos sejam apenas amassados com o garfo”.

Ofereça alimentos saudáveis dos três grupos e estimule o consumo de frutas, legumes e verduras.
O primeiro grupo reúne tubérculos e cereais, como inhame, cará, batata doce, arroz. O segundo grupo é o da proteína (carne, peixe, ave, ovo). O terceiro grupo reúne as leguminosas, verduras, como abóbora, beterraba, cenoura, chuchu.

Nada de bolachas, salgadinhos e café antes dos dois anos. Isso faz mal e vai competir com os alimentos saudáveis. Garantir o consumo de alimentos saudáveis é responsabilidade da família e a hora de comer é hora de comer – nada de tablet, celular, computador, eletrônicos.

“Quando a criança está comendo, ela tem que ficar no alimento, na textura, aroma, paladar. Isso é muito importante. Também tem a interação com a pessoa que está ajudando a criança a se alimentar. É o momento de conversar, falar sobre o alimento, é importante para o desenvolvimento”.

Lave bem as mãos, os alimentos e os utensílios
“Isso é fundamental. Previne doenças, diarreia. Você elimina a possibilidade de criar bactérias”.

Com a introdução de alimentos e a redução de mamadas, é preciso que o bebê tome água. Ofereça água pra criança.

E lembre-se: bebê ativo é bebê saudável e feliz. “Atividades ao ar livre são importantes. Também ofereça brinquedos pedagógicos, que ensinam a montar, por exemplo”.

Por: G1

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Como Carregar o Car Seat


VOCÊ SABE CARREGAR O BEBÊ CONFORTO DA MANEIRA CORRETA E SEM SENTIR DORES NAS COSTAS? 


De acordo com a Quiroprata Emily Puente, da Bridge Family Chiropractic (EUA), nós aprendemos que estávamos carregando nossos car seats totalmente errado. O vídeo viral dela que você verá abaixo, explica como eliminar aquela dor e passos desajeitados que surgem ao andarmos por aí com um volumoso bebê conforto – e é realmente simples. A Layette Miami separou algumas dicas para carregar estas cadeirinhas:

Primeiro, veja como funciona a técnica de Emily Puente:


1. Vire o car seat para seu bebê ficar de frente para você;

2. Passe seu braço que está ao lado do car seat pela alça para que a alça fique na parte interna do cotovelo;

3. Gire sua mão e posicione as costas da mão para seu corpo, e use-a para apoiar o car seat debaixo da alça.



“Eu garanto que isso tornará mais fácil para você carrega-lo”, diz Puente, explicando que esta maneira de carregar vai aliviar a tensão na parte superior das costas, ombro e quadril. Entretanto, ela adiciona um esclarecimento na legenda do vídeo no Facebook: “Eu procurei compartilhar isso devido as diversas marcas e modelos diferentes de car seats que existem, mas é provável que este método não funcione para todos os modelos de assentos. Esta foi apenas uma tentativa de transmitir uma ideia criativa que foi compartilhada e funciona incrivelmente bem para a maioria dos que a tentam”.


Se o método de Puente não funcionar para você, aqui vão algumas técnicas alternativas:

CARREGUE NO CENTRO


A equipe da Oh Baby! Fitness (EUA) que dá aulas de ginástica para gestantes, recomenda carregar seu car seat de frente para você, o mais próximo possível do centro de seu corpo – assim como você carrega uma cesta de roupas para a lavanderia. Isso ajudará você a manter uma melhor postura.

COLOQUE UMA CINTA


Existem estas cintas (ou correias) para facilitar o carregamento do bebê conforto. As da empresa americana Cocobelt permitem você carregar car seats de qualquer marca ou modelo em seu ombro - e com padrões modernos para vestir. Veja o vídeo abaixo. Algumas outras marcas, como Diono, vendem suas próprias cintas de carregamento para modelos específicos de car seat.

USE UMA “MOCHILA CANGURU”


Se possível, Puente recomenda usar um carregador de bebês (ver foto abaixo) ao invés de carregar o bebê conforto o dia todo. Eles são ergonomicamente desenvolvidos para distribuir o peso dos bebês e aliviar suas costas. Temos diversas opções desse produto no mercado.


Aqui segue uma breve explicação em português sobre o vídeo da Quiroprata Dra. Emily Puente:

Uma médica e mãe compartilhou um método útil para transportar a cadeirinha do bebê - e muitos pais podem ficar desapontados ao descobrir que a maneira usual deles não é a melhor.
A Dra. Emily Puente, quiroprata em Mansfield, Texas, demonstrou como levantar e transportar corretamente o equipamento em um vídeo que obteve mais de 96.000 visualizações em menos de dois meses.
A maioria dos pais provavelmente segura a cadeirinha de bebê, içando-a no braço dobrado, como uma bolsa. Mas essa posição, como aponta Puente no clipe, coloca uma pressão significativa em suas costas.
Em vez disso, a quiroprata se ajoelha próximo ao bebê conforto. Então, ela usa a mão para pegar o bebê conforto de lado.
Apoiando o bebê conforto com o braço e a mão, Puente então se levanta. Suas costas estão retas e sua postura está protegida.
A quiroprata decidiu compartilhar a dica depois que outra pessoa lhe ensinou o método, que ela descobriu ser "a melhor coisa" que já foi mostrada.
"Não vai machucar o seu ombro, não vai doer o seu quadril, e você também não vai precisar usar o joelho para balançar como eu fiz com os meus dois [filhos]", explica a quiroprata.
Ela também apontou por que a técnica tradicional para segurar a cadeirinha do bebê pode prejudicar a postura dos pais:
- Assim que eu fizer isso - disse ela, pondo a cadeira do carro na dobra do braço -, estou colocando muita tensão na parte superior das costas, no ombro e no quadril.
“A longo prazo - digamos que vou fazer uma viagem de supermercado ou, Deus me livre, vou ao zoológico com isso - seria terrível carregar essa coisa por aí.
"Mas assim que mudamos para isso", ela diz, voltando ao outro método, "é uma mudança completamente diferente em como estou usando meu corpo".


Fontes:
http://www.dailymail.co.uk/femail/article-4644266/Doctor-demonstrates-hold-baby-s-car-seat.html
https://www.thebump.com/news/best-way-hold-car-seat




segunda-feira, 2 de julho de 2018

Resfriado em bebês e crianças - Dicas!


Há uma razão para os resfriados em bebês serem comuns. A maior parte das crianças saudáveis pegam 8 a 10 infecções virais nos 2 primeiros meses de vida. E aqui estão algumas dicas sobre o que você precisa saber sobre resfriados comuns em bebês, desde as causas até os sintomas, duração e tratamento.

MOTIVO DE RESFRIADO DE BEBÊS
Resfriados, também conhecidos como infecções respiratórias superiores, são causadas por vírus. Estes vírus são transmitidos através de contato físico, contato com saliva de tosse ou espirros e contato com algum objeto que tenha sido contaminado com o vírus. Existem mais de 200 vírus causadores de resfriados, o que explica o motivo dos resfriados serem tão comuns.
Bebês e crianças pequenas apresentam muitos episódios de nariz escorrendo porque eles ainda não tiveram a chance de construir imunidades contra os diferentes vírus em circulação. Embora esses resfriados frequentes sejam duros para o nariz do seu bebê, eles não causam nenhum dano - na verdade, eles podem fazer bem para o seu bebê. As lutas frequentes contra os resfriados podem melhorar o sistema imune do bebê, fazendo com que ele fique menso susceptível à infecções mais tarde, quando crescer.


SINTOMAS DE RESFRIADOS EM BEBÊS
Felizmente, a maior parte dos sintomas de resfriados em bebês são leves e incluem:
  • Nariz escorrendo (primeiro com aspecto aguado e depois opaco, às vezes amarelo ou verde)
  • Congestionamento nasal
  • Espirros
  • Febre leve (às vezes)
  • Tosse seca (que pode ficar pior à noite e no final do resfriado)
  • Dor de garganta (o que não é fácil de se detectar em um bebê)
  • Fadiga ou irritabilidade
  • Perda de apetite

QUANTO TEMPO DURA O RESFRIADO EM BEBÊS?

O período de incubação de um resfriado é entre 1 à 4 dias, sendo normalmente mais contagioso um ou dois dias antes que os sintomas apareçam, mas pode ser transmitidos em qualquer momento. Quando  nariz para de escorrer, o resfriado se torna menos contagioso. O resfriado comum dura de 7 a 10 dias (o 3° dia é geralmente o pior), embora uma tosse residual possa demorar por mais tempo. 

DICAS PARA TRATAR O RESFRIADO EM BEBÊS
Para ajudar a tratar o resfriado comum em bebês, tente estas dicas:
  • Monitore o muco. Um nariz carregado pode ser muito desconfortável para o seu bebê, trazendo dificuldades para ele respirar e para vocês dois dormirem. Faça a sucção do excesso de muco usando NoseFrida que é gentil para o nariz do bebê e seguro. Antes disso, aplique algumas gotas de solução salina ou spray para facilitar a sucção.


  • Elevar o berço. Eleve o lado do berço onde seu bebê fica com a cabeça, colocando alguns travesseiros ou outro suporte embaixo do colchão para fazer com que o bebê respire mais facilmente.
  • Aplique uma pomada hidratante. Massageie VICKS Baby Rub no peito e costas do bebê antes de dormir, que é uma pomada não-medicamentosa, com fragrâncias de eucalipto, alecrim e lavanda, que ajudam a acalmar e relaxar seu bebê.
  • Insista na ingestão de líquidos. Aumente a ingestão de líquidos do seu bebê para repor aqueles perdidos através da febre e corrimento nasal. Aposte nos líquidos quentes (caldo de frango, por exemplo). Também alimente seu bebê com comidas nutritivas, incluindo as ricas em vitamina C. Se o seu bebê ainda não está ingerindo sólidos, continue com a amamentação ou fórmula.
  • Dê um banho "Respire Melhor". O vapor e os vapores calmantes são excelentes para reduzir o congestionamento nasal. Então um banho com bastante vapor, e ainda usando Johnson's Soothing Vapor Bath é perfeito para fazer com que o bebê respire melhor.
  • Fale com  seu médico sobre os medicamentos seguros: Converse com seu médico sobre as opções em caso necessário. Paracetamol é seguro para bebês acima de 2 meses e ibuprofeno é seguro para bebês com idade acima de 6 meses. Mas lembre-se, consulte seu médico antes!

PREVENINDO RESFRIADOS EM BEBÊS
Infelizmente, não há como proteger completamente seu bebê contra vírus de resfriados. A primeira maneira para se prevenir o resfriado é lavando as mãos do bebê frequentemente. Ou se não puder lavar no momento, use gel ou lenços sanitizantes, mas saiba que eles não são tão eficazes quanto água e sabão na remoção dos germes. Tente também manter seu bebê longe de pessoas com resfriados e desinfete superfícies que podem estar contaminadas com vírus de resfriados. Amamentação também pode reduzir a susceptibilidade de pegar um resfriado, mas não é infalível.

QUANDO LIGAR PARA O MÉDICO?
Em episódios de resfriados comuns, não há necessidade de visitar o pediatra. Mas se o seu bebê tem menos de 3 meses ou se é o primeiro resfriado dele, é uma boa idéia entrar em contato com seu médico para deixar a cabeça mais tranquila. Caso contrário, observe o aparecimento dos sintomas abaixo, que indicam que o resfriado do seu pequeno está ficando pior e ligue para o médico:
  • Parece estar muito incomodado (muito inquieto durante a noite ou tem alguma dor que o faça acordar - difícil de detectar em bebês)
  • Está letárgico
  • Se recusa a comer e beber
  • Febre acima de 38.8°C ou febre mais baixa que dura mais de 4 dias
  • Tosse que está piorando ou continua durante o dia, após outros sintomas terem desaparecido
  • Respira mais rápido que o normal
  • Possui descarga nasal esverdeada, de mau cheiro, do nariz ou da tosse
  • Tem glândulas inchadas no pescoço
  • Está puxando as orelhas
  • Possui sintomas há mais de 10 dias
Se o seu bebê aparenta ter um resfriado duradouro, ou um nariz escorrendo continuamente, ou resfriados frequentes (especialmente se acompanhados de olheiras), pergunte ao seu médico sobre possíveis alergias (embora sejam raras em bebês).
Fonte: https://www.whattoexpect.com/first-year/health-and-safety/colds-in-babies/


Unicef cria cartilha com 10 passos para alimentação e hábitos saudáveis até os 2 anos

Como deve ser a alimentação das crianças do nascimento até os dois anos de idade? O Unicef criou uma cartilha com 10 passos para ajudar as...